Uma ideia radical, principalmente para o século 18. Adam Smith, considerado o pai da economia, criou o conceito da “mão invisível” como uma forma de representar os conceitos de oferta e demanda. A mão invisível seria essa força que move o mercado para o ponto de equilíbrio, sendo a representação dos escolhas dos indivíduos.
O conceito nasceu com foco em como as pessoas interagem, se comunicam e no relacionamento moral e intrínseco da busca pelo interesse próprio. Em um mercado livre, quando todos buscamos os nossos próprios interesses, contra intuitivamente, a sociedade se beneficia desses atos. Você age conforme o que acredita ser melhor para você, assim como eu ajo conforme o que acredito ser melhor para mim, dessa forma todos em uma sociedade estarão buscando seus próprio interesses e o todo seria ajustado por essa força reguladora (a mão invisível.). A mão invisível ressalta o fato de que os indivíduos – em vez de governos e administradores – devem ser capazes de decidir o que produzir e consumir, mas sim, há algumas ressalvas importantes.
O próprio Smith reconheceu limitações para a sua teoria, como situações ambientais e necessidade de leis. Entretanto, mesmo com suas limitações, as ideias de livre mercado foram essenciais para a evolução da ciência econômica e ainda são muito debatidas nos dias de hoje.
Essa ideia ajuda a explicar por que o livre mercado possui um papel tão importante no desenvolvimento das sociedades modernas.

Um grande abraço a todos e até o próximo vídeo!
Gabi

Facebook Comments