Economia/Finanças

4 conhecimentos que vão te poupar MUITO DINHEIRO!

4 conhecimentos que vão te poupar MUITO DINHEIRO!!

Você já se colocou em uma dieta rigorosa, apenas para adiá-la para a próxima semana, quando, em seguida, é confrontado com um pedaço de bolo de aniversário no escritório?

Você já teve um impulso de comprar algo, apenas para lembrar mais tarde, que havia uma razão para você nunca comprar aquilo?

Você já experimentou momentos de surpresa com sua incapacidade de fazer as coisas – “Como eu não tinha feito isso antes?!!”

Você já deixou aquela tarefa fácil, mas chata, para última hora, simplesmente por preguiça?

Estes são apenas alguns exemplos de desvios comportamentais que possuímos. 

Se você respondeu “não” a todas as perguntas: Parabéns! Você tem excelente força de vontade e deve levar uma vida bem organizada e bem sucedida.

Se você respondeu “sim” a pelo menos uma das perguntas, ou mesmo como eu que tenho um grande SIM em todas, não se desespere, isso é o natural do comportamento humano. E talvez eu não possa resolver todos os seus problemas, mas ao menos tentarei te mostrar como economizar algum dinheiro com isso!

Economia comportamental pode sim te fazer economizar dinheiro. Afinal, para a grande maioria de nós meres humanos, as situações acima são normais. Aquelas em que nos comprometemos com algo e não cumprimos!

Você deve estar percebendo onde quero chegar: os erros que você vem cometendo com o seu dinheiro, dos muitos que eu já cometi, são frutos dos nossos problemas como humanos.

Chegamos a entender que há uma maneira racional e sensata, e então há o caminho humano: a vida acontece, nos ocupamos, ficamos com medo, somos influenciados pela opinião popular; ou nos tornamos atraídos por tudo o que temos em nossa atenção imediata.

Ei, Lembre: você é apenas humano!

Provavelmente não será surpresa descobrir que desvios comportamentais ocorrem em todas as partes da vida, particularmente no que diz respeito ao dinheiro. Dinheiro frio e duro pode confundir um coração mole e quente. Ou em outras palavras: nos emocionamos quando se trata de dinheiro.

Apesar de não sermos racionais, na verdade é muito simples prever – e antecipar – desvios comportamentais. 

Aqui estão alguns que são comuns para você conhecer:

#1 Problema: Gratificação de Curto Prazo

Gratificação de Curto Prazo, ou mesmo instantânea, e aquela sensação de recompensa imediata após a realização de algo. É por causa dela que você compra algo por impulso, como o bolo de chocolate que não devia e também procrastina até o último momento para lavar a louça.

Estudos mostram que pessoas pensam de forma diferente quando pensam no seu futuro em comparação com o seu presente, tornando difícil lidar com a vontade de realização e prazer imediato em comparação com um benefício futuro. 

Não é de admirar que as necessidades de curto prazo tenham prioridade a longo prazo.

Solução: definição de metas

Visualizar sua vida futura e realmente criar metas possíveis é uma maneira de tornar mais fácil lidar com a gratificação instantânea. Claro, criar metas grandes e assustadoras é bom, mas dividí-las em metas menores e de curto prazo o ajudará a permanecer no caminho certo. 

Lembre-se: o seu futuro é impactado pelas decisões que você toma hoje!

#2 Problema: Confiança na Força de Vontade

Como aquele e-mail que permanece na sua caixa de entrada; economizar, investir, planejar, reequilibrar e permanecer devidamente diversificado, tudo é facilmente esquecido e deixado para depois.

Nossa força de vontade é igual a um músculo, quanto mais você uso mais ela se fortalece, porém se usada de forma muito intensa ela falha. 

Solução: automação e criação de Hábito

Em vez de confiar em sua força de vontade não confiável. Automatize todas as coisas difíceis e foque em criar hábitos.

Automatize investimentos direto da sua conta corrente e/ou folha de pagamento. Crie o hábito de semanalmente verificar suas metas e planejamento, não é tão ruim quanto parece!

#3 Problema: viés de excesso de confiança

Em uma escala de um a dez, como você avaliaria suas habilidades de direção? 

O mais provável é que seja sete e você não é o único. Mas alguém tem que estar errado. Estatisticamente falando, é impossível para a maioria das pessoas estar acima da média. O excesso de confiança existe também quando o assunto é investir. As pessoas acham que podem fazer melhor do que o mercado quando investem por conta própria, mas, na maioria das vezes, as coisas pioram.

Há outras razões que fazemos mal quando investimos sozinhos: Escolhemos ações usando informações limitadas, como selecionar apenas aquelas que conhecemos ou “ouvimos falar” (viés de familiaridade), e nos concentramos teimosamente em ações porque o preço atual da ação está abaixo do preço de compra (ancoragem).

Solução: combine o mercado

Na realidade, até mesmo os profissionais não têm todas as informações (ou a bola de cristal) necessárias para cronometrar o mercado. Nunca podemos saber o que o mercado fará no curto prazo; só podemos investir em seu crescimento de longo prazo e diminuir o risco onde pudermos.

Investir em um portfólio diversificado de diversas empresas, tanto locais como no exterior, como em Renda Fixa e outros tipos de investimentos, significa que você terá menos impacto quando as ações de qualquer empresa individual cair.

#4 Problema: lacuna de empatia

Além de superestimar nossa capacidade de avaliar nossas capacidades, tendemos a superestimar o quão confortável estaremos com o risco e o stress no futuro.

Essa situação é vista tanto para economias quanto para investimentos:

Pessoas estressadas tendem a gastar mais e com menos consciência sobre suas necessidades. Muitas vezes utilizando da gratificando instantânea como um alivio para o stress.

Investidores mesmo sabendo que comprar na alta e vender na baixa é uma estratégia perdida, a maioria das pessoas acha extremamente difícil permanecer com um investimento quando o mercado cai. Vez após vez, aqueles que investem em um mercado em baixa fazem bem quando se recuperam. Então, como você supera o medo e fica no mercado?

Solução: Defina e Esqueça

Estabelecer metas e objetivos de forma a facilitar você seguir com eles. Além de buscar descobrir esses momentos em que o seu comportamento te leva a tomar decisões que você não quer tomar.

Busque definir um plano para você em algum momento que você esteja racional, para garantir tomar decisões corretas e evitar situações que stress e medo te desviem dos seus objetivos.

Contratar um consultor financeiro para falar sobre as dificuldades e te ajudar a definir metas viáveis é uma forma de manter a calma quando as coisas ficam difíceis e mais complicadas.

Facebook Comments