Tesouro Direto mudou de Preço? Tudo que você precisa saber sobre Por que os títulos públicos mudam de valor e taxas

Se você investe (ou já investiu) no Tesouro Direto, já deve ter percebido que todos os dias o valor dos seus títulos mudam. Para poder entender a razão dessas mudanças, precisamos entender como esses títulos são precificados, ou seja, como é calculado o valor diário deles.

Essas mudanças ocorrem devido à mudanças das taxas de juros da economia (Selic/DI) e das expectativas do mercado, entre outros fatores, e são “publicadas” ou “atualizados” por um processo chamado marcação a mercado (para entender mais sobre expectativas aqui).

Pós-Fixado

A precificação de um título de renda fixa pós-fixado é simples de entender. Partindo do seu preço inicial, ele é atualizado diariamente de acordo com a variação do seu indexador. Em outras palavras, o preço atual do título (o valor hoje) vai sendo corrigido diariamente, pela remuneração do papel (variação da SELIC/DI, por exemplo).

Pré-fixado

Os títulos prefixados são aqueles que pagam, no vencimento, um percentual já conhecido na hora da compra. Por exemplo, você adquire um título hoje e já sabe que, no vencimento, ele pagará 10% ao ano.

Esses títulos possuem o valor futuro já conhecido e o seu valor hoje é descontado pelo valor futuro. Ou seja, no vencimento o título vai pagar X (o que não muda), o seu valor hoje será atualizado pela taxa de juros do título, assim, mudanças na taxa de juros impactam o valor de hoje e não o futuro.

Entendendo esses dois conceitos, fica mais fácil de entender como cada título é precificado 

Tesouro SELIC

Este é fácil (ou o mais fácil). Este título pós-fixado esta atrelado a um indicador (taxa SELIC), ou seja, ele irá render o quanto a SELIC render no período. 

A variação do seu título e da SELIC vão ter uma relação linear. Pense assim, todo o dia o título é reajustado pela variação da SELIC, essa remuneração é adicionada ao valor do título. Esse é um ajuste diária feito até a data do vencimento.

Assim, se você resgata ou vende o papel antes do vencimento, simplesmente ganhará a variação da SELIC até então.

Em função disso, quanto maior a SELIC, mais esses papéis vão pagar. Se as taxas de juros sobem, eles passam a pagar mais; se elas caem, eles passam a pagar menos, mas seu rendimento continua positivo e seu preço continua se elevando com o tempo.

Enquanto as taxas de juros se mantiverem positivas, é virtualmente impossível ter rentabilidade negativa com esses papéis.

Tesouro PREFIXADO

O Tesouro Prefixado, especificamente, sempre vale mil reais na sua data de vencimento.

Se você compra hoje um papel com vencimento dentro de exatamente um ano (252 dias úteis) e remuneração de 10% ao ano, quanto pagará por ele?

Partindo-se do valor futuro de mil reais, o prazo de um ano e a taxa de 10%, temos que o valor desse título hoje será de 909,09 reais. Os 90,91 reais que faltam para completar 1.000 reais são referentes a esse juro de 10% que você vai receber se ficar com o título até o vencimento.

Suponha que, amanhã, o Tesouro Prefixado (LTN) com o mesmo vencimento esteja pagando 11% ao ano. Pela mesma regra (e agora considerando que faltam 251 dias úteis para o vencimento), o preço desse papel amanhã será de 901,27, um pouco menor.

Se, ao contrário, a rentabilidade desse papel amanhã cair para 9% ao ano, seu preço subirá para 917,74 reais.

Repare que, quando a rentabilidade do papel sobe, seu preço cai, e vice-versa. 

Tesouro IPCA+

Este título possui uma parte pré-fixada e outra pós-fixada (atrelada à inflação, o IPCA). A sua rentabilidade no vencimento vai ser expressa, por exemplo, como 6% ao ano + IPCA do período.

Dessa forma, a parcela pós-fixada será reajustada de acordo com a inflação, enquanto que a parcela pré-fixada terá o comportamento conforme o Tesouro PREFIXADO.

Facebook Comments