A reserva de emergência é um dos investimentos mais importante que você pode fazer, infelizmente é também o mais negligenciado.

As pessoas tendem a não se preparar para crises, momentos de necessidade e onde o pior possa acontecer.

Te digo uma coisa: o pior vai acontecer. E a reserva de emergência será o seu salva-vidas nesse momento!

Não estou aqui te agourando e muito menos desejando desgraças, mas imprevistos acontecem diariamente na vida de todos!

A reserva de emergência estará lá para te garantir segurança quando esses momentos chegarem, não apenas para problemas gravíssimos (perder emprego ou carro roubado), mas também se você precisar de algum dinheiro extra que estava fora do previsto

Porque ter primeiro uma reserva antes de começar a investir?

Como já comentei, ela que vai garantir a sua segurança se você precisa de um dinheiro extra. Se você não possuir um bom fundo de emergência, você poderá se encontrar em dois cenários futuros:

  1. precisando pedir dinheiro emprestado, entrar no cheque especial, gerar dívidas, etc…
  2. Ter que resgatar investimentos em momentos que não eram adequados, como títulos públicos e CDBs antes do vencimentos, vender ações que estão desvalorizadas, além de talvez arcar com maiores taxas de imposto de renda nesses investimentos…

Ambas situações vão fazer você perder mais dinheiro em um momento que você já está precisando de dinheiro, e não queremos isso, certo?

Quanto devo ter na reserva?

Aqui vamos ao que costumo escutar por ai como “piada”. Bem, tenho uma noticia: Não é!

O valor ideal para a reserva de emergência vai variar muito de pessoa para pessoa. O ideal é você ter em torno de 6 meses do seu custo de vida. Veja bem, estou falando do custo de vida e não salário! 

Vamos exemplificar: Se você ganha R4 2.000,00 por mês mas vive com R$ 1.500,00, R$ 1.500,00 é seu valor base. Multiplique por 6 e temos R$ 9.000,00. Por outro lado, se você tem um custo de vida mais alto que o seu salário, temos um problema!!! Você precisa urgentemente de um planejamento financeiro.

Claro, 6 meses é uma generalização. Caso você seja um funcionário público, talvez 4 meses sejam suficientes, porém profissionais autônomos devem ter mais de 6 meses, meu conselho seria algo entre 8 e 10 meses.

Nossa mas isso é muito dinheiro para ter em uma reserva de emergência!!!!

Caso esse pensamento tenha passado pela sua cabeça, tenho uma péssima notícia. Se você deseja verdadeiramente ter uma estabilidade financeira, esse é o valor, eu não posso fazer nada a respeito. Se você não possui uma reserva de emergência, nem pense em começar a investir em outras coisas ✋✋✋

Como faço para construir uma?

A chave é planejamento! Primeiro você deve saber o seu custo de vida mensal, isso pode parecer obvio, mas acredite a maioria não sabe! Com isso você saberá o quanto você deve ter nesse fundo, para em seguida poder organizar suas economias para construir ele.

Onde deixo a reserva de emergência investida?

A reserva de emergência é algo para garantir sua segurança, estabilidade e acima de tudo paz mental quando um “pepino” ocorrer. Então você pode imaginar que o objetivo dela não é ser um investimento altamente complicado que foque em altos retorno, a ideia aqui é segurança!

Sua reserva de emergência deverá estar investida em algo com baixo risco e alta liquidez. O melhor investimento com essas características é o Tesouro SELIC, porém você também pode optar por CDBs com liquidez diária ou até mesmo ter um pouco na poupança e/ou conta corrente. Neste ultimo caso (poupança e conta corrente) eu não conselheira colocar todo o valor da reserva, mas algo como uns 10%, lembrando que a reserva não é para gerar rentabilidades altas, mas segurança e conforto para você!

Facebook Comments