Difícil falar sobre qualquer forma de investimento antes de saber o que é a Taxa SELIC.

Caso você nunca tenha ouvido falar dela, ou mesmo não saiba muito bem sobre do que realmente se trata, CALMA!

Vamos esclarecer suas dúvidas a seguir:

O que é a Taxa SELIC?

A taxa SELIC é a taxa básica de juros da economia brasileira, ela regula todos os juros praticados pelo mercado, tanto para investimentos quanto para financiamentos. Ela é como se fosse o guia para todos os agentes da economia estabelecerem as suas aplicações financeiras.

É importante entender que diversos “conceitos” são diretamente impactados por ela, tais como a inflação, qualquer investimento, a própria poupança, os gastos do governo, e até mesmo importações e exportações, entre tantos outros…

SELIC é a sigla de “Sistema Especial de Liquidação e Custódia”. É neste sistema que são gerenciados os títulos públicos federais – os títulos da dívida do Brasil. Sim, aqueles que você pode adquirir pelo Tesouro Direto.

Como citado, ela é a “taxa básica”, isto pois ela corresponde aos juros pagos pelo governo na captação de recursos junto ao mercado para o financiamento público via venda de títulos públicos. Alguns desses títulos possuem seu retorno baseado na SELIC e correspondem aos produtos financeiros com menor risco de crédito, ou seja, com a menor possibilidade do investidor não receber de volta o valor investido.

Quer saber mais sobre títulos públicos? Veja AQUI!

Falamos que a SELIC impacta os investimentos, agora deixa eu explicar como:

Diversas instituições financeiras oferecem investimentos com rentabilidade atrelada pela SELIC. Muitos desses títulos são precificados através das expectativas do mercado em relançar a variação da SELIC, ou mesmo possuem a sua rentabilidade como um percentual dela.

Em outras palavras: Se for um produto pré fixado (a taxa é definida no momento da compra do título), a taxa vai considerar as expectativas da variação da taxa SELIC no futuro. Se for um produto pós fixado(a taxa é definida no momento do resgate do título), a rentabilidade vai acompanhar a variação da taxa SELIC ao longo do tempo.

Certo, mas por que devo acompanhar essa taxa?

Conseguir uma remuneração em investimentos compatível com a SELIC não é algo difícil, entretanto existem DIVERSOS produtos que rentabilizam muito menos que ela (a própria poupança). Ou seja, você deve ficar atento para saber se seus investimentos estão com rentabilidade compatível com a SELIC, caso contrário, você deve rever eles e/ou procurar uma orientação profissional. 

Mas, e se você precisa de um empréstimo/financiamento? 

A influência dela é direta. Pense como se vicie fosse um banco, se você pode emprestar dinheiro ao governo pela rentabilidade da SELIC, por qual motivo você emprestaria dinheiro para qualquer outro indivíduo que possui mais risco pela mesma rentabilidade?

Devido a isso, o banco sempre emprestará por valores maiores, claro, dependendo de cada caso.

Mas o que vale aqui é entender que a SELIC também é utilizada como base para a definições de taxas comerciais pelos bancos. A qual corresponde à SELIC mais o chamado spread bancário.

Lembrando: quanto maior for a SELIC, maior tende a ser a remuneração dos seus produtos de renda fixa. Da mesma forma, quanto maior a SELIC, maior o seu custo empréstimos e financiamentos. O inverso também é verdadeiro.

Como é definida a taxa SELIC?

Quem define a meta da taxa SELIC é o COPOM, que é o Comitê de Política Monetária do Banco Central do Brasil.

A taxa meta é definida em reuniões pelo comitê, composto por 8 membros, mais o presidente do Banco Central, o qual tem o voto final na definição da meta da taxa SELIC em caso de empate. Ela é peça chave no controle da inflação do país.

As reuniões ocorrem sempre às quartas feiras. Na quinta feira seguinte à reunião a ata é publicada para o mercado e, por meio dos votos dos conselheiros, os analistas financeiros podem traçar projeções de cenários futuros de variação da taxa, seja para mais, seja para menos.

Quais os impactos da taxa SELIC na economia brasileira?

Inflação e consumo

A alteração da taxa SELIC é um dos instrumentos com resultados mais rápidos para alterar a inflação do país. 

A lógica é simples: Com taxas de juros mais altas, o custo do crédito é maior, diminuindo o consumo parcelado (custo fica maior), o que diminui o consumo de forma geral, e consequentemente a inflação. Nesse cenário, investir fica mais atrativo, com taxas mais altas em investimentos em renda fixa, o que também gera menor consumo em vista a preferência por investir.

Se pensar em uma empresa, a lógica é a mesma: crédito mais caro torna mais elevado o custo com tomada de crédito, reduzindo expansões ou modernizações delas. Igualmente, em razão do melhor retorno dos investimentos financeiros, com baixo risco, as empresas optam por segurar projetos ao invés de investir em ampliação e correr riscos.

Câmbio, importações, exportações e turismo

Pense que você é um estrangeiro e realiza investimentos pelo mundo inteiro. O aumenta da taxa SELIC torna mais atrativo investir no Brasil, afinal o país passa a oferecer mais retorno em seus investimentos.

Claro, para investir aqui, o investidor estrangeiro deve converter a sua moeda para o real, trazendo um grande fluxo de câmbio internacional (geralmente dólares) para dentro do país. Dessa forma, temos uma tendência clara de redução da taxa de câmbio.

O efeito da taxa SELIC no câmbio, por sua vez, tem impacto direto em outros campos da economia. A redução da taxa de câmbio afeta as exportações e favorece as importações, tornando mais acessíveis a compra de produtos importados.

Da mesma forma, uma taxa de câmbio menor favorece o turismo para fora do Brasil, tornando mais acessível destinos que costumam ter um custo mais elevado. Mas, torna mais caro fazer turismo no Brasil.

Bolsa de valores

De forma simples, podemos dizer que o mercado financeiro é composto por ativos de renda fixa e renda variável. Como já sabemos, os ativos de renda fixa tendem a ter seus retornos diretamente impactados por variações da taxa SELIC.

No caso do mercado de renda variável o impacto é indireto. 

O impacto mais claro é sobre o risco desse tipo de investimento. Ativos defenda fixa são muito mais seguros por natureza, e com uma taxa SELIC mais alta, esses ativos ficam mais atrativos em relação à renda variável (como em ações).

Agora pense no lado da empresa. A rentabilidade das ações está diretamente ligada ao desempenho da empresa, e como jia vimos, as variações na SELIC atingem o “consumo” da empresa por projetos de desenvolvimento e captação de dinheiro, o que impacta o seu desempenho e lucratividade.

Dessa forma, em um cenário de juros mais altos, além de ser mais atrativo investir em renda fixa, investimentos em renda variável se tornam mais arriscados e com menores chances de lucro.

Quanto está a Taxa Selic hoje?

A taxa selic está hoje (28 de abril de 2018) em 6,25% ao ano.

Facebook Comments