Nós somos aquilo que fazemos repetidamente. Excelência, então, não é um modo de agir, mas um hábito.”

– Aristóteles

Se você pudesse ler um único livro para transformar a sua vida, você gostaria de saber qual?

Sim? Então eu tenho uma sugestão incrível para você: “O poder do hábito” de Charles Duhigg.

Nesse Livro Duhigg explica toda a construção do hábito e de como ele é uma ferramenta poderosa para transformar vidas. Ele também expõem diversos casos de sucesso a partir da formação de hábitos poderosos, como de Michael Phelps.

Mas qual a real importância dos hábitos? Deixa que eu te explico…

Nossos hábitos são como um piloto automático para todas as nossas atividades rotineiras. Os hábitos existem para nos colocar em um modo automático no qual não usamos muitas energias, poupando elas para tarefas que nos sejam realmente custosas. Eles nos permitem liberar nossas mentes para outros tipos de atividades.

Hábitos podem ser bons e ruins. Eles podem te ajudar ou atrapalhar. Eles também podem ser criados, destruído e alterados. Você possui a total liberdade de manipular os seus hábitos conforme sua vontade. Conhecendo como o hábito se forma e se manifesta, com pouca força de vontade você terá a liberdade de manipulá-lo como bem entender.

O hábito é composto por um ciclo de três etapas, as quais são:

1 – Gatilho

2 – Execução

3 – Recompensa

O gatilho é o sinal que você recebe (muitas vezes inconscientemente) que te coloca dentro do ciclo do hábito. Esse gatilho pode ser qualquer coisa, o que torna muitas fezes difícil de identificá-lo. Ele em si não é o que importa, mas o que fazemos a partir dele, qual decisão tomamos assim que percebemos esse gatilho.

A execução do hábito é um modo automático que você entra assim que percebido o gatilho pelo seu cérebro.

A recompensa é a sensação imediata de prazer assim que finalizado o hábito. Os hábitos são desenvolvidos e continuados porque existe uma recompensa. São nossos cérebros nos colocando em automático por que sabem que haverá uma sensação de prazer assim que finalizado.

A nossa força de vontade é algo limitado, por isso que hábitos são tão importantes. Eles não requerem de força de vontade. Não há esforço algum para sua execução.

Muitas pessoas ignoram a existência do gatilho e da sua importância na manifestação do hábito, é aqui que a força de vontade deve ser utilizada para a tomada da decisão do hábito.

Geralmente as pessoas tomam consciência da manifestação do hábito durante sua execução, querendo nesse momento contornar a situação e para isso usam toda a sua força de vontade. Isso acaba sendo um erro, pois nesse momento já estamos no piloto automático e necessitamos de muito mais energia para conseguir sair desse modo. Note, é muito mais fácil evitar a execução do que querer parar ela.

A identificação dos gatilhos de seus hábitos pode requisitar algum tempo. É necessário que você consiga entender como você responde a determinados incentivos, os quais servem como gatilhos, para assim poder alterar suas reações.

O momento que você realmente terá que requisitar esforço é no momento inicial da construção/alteração de um hábito. Quando ele estiver formado, você não precisará de NENHUM esforço, você estará no piloto automático.

Facebook Comments